Segunda-feira
06 de Julho de 2020 - 

Notícias

Newsletter

Cadastre seu email, para receber informativos períodicos.

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
28ºC
Min
16ºC
Predomínio de

Terça-feira - Campinas,...

Máx
28ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Campinas,...

Máx
27ºC
Min
16ºC
Predomínio de

Hoje - São Paulo, SP

Máx
25ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - São Paul...

Máx
26ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - São Paul...

Máx
26ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Rio Claro, SP

Máx
28ºC
Min
13ºC
Predomínio de

Terça-feira - Rio Claro...

Máx
27ºC
Min
12ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio Claro...

Máx
27ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,34 5,34
EURO 6,00 6,00

Mantida sentença de casal condenado por lesão corporal seguida de morte

Vítima era mãe da acusada.           A 4ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve sentença que condenou casal por lesão corporal seguida de morte. Os acusados – a filha da vítima e seu companheiro – tiveram as penas fixadas em sete anos e quatro meses de reclusão e seis anos e oito meses reclusão, respectivamente, ambos em regime inicial fechado.         Consta da denúncia que a vítima apresentava problemas psiquiátricos e se tornava agitada quando passava por crises. Na noite do crime, após apresentar uma crise, foi amarrada em sua cama e violentamente agredida pelos réus, vindo a falecer em razão da violência. Condenados pelo Tribunal do Júri, apelaram, buscando a reforma da sentença.         Para a desembargadora Ivana David, relatora da apelação, as penas foram corretamente fixadas, motivo pelo qual negou provimento ao recurso. “A materialidade e autoria delitiva são inequívocas, como se vê da portaria inaugural, boletins de ocorrência, laudo necroscópico, exame tóxico de dosagem alcoólica, relatório de investigações, laudo do local, laudo de reconstituição e parecer médico legal, bem como pelo inteiro teor da prova oral colhida nas duas fases do processo. Ante o exposto, conhece-se em parte o presente recurso e, na parte conhecida, nega-se provimento, mantida a r. sentença condenatória por seus próprios e jurídicos fundamentos”, escreveu em seu voto.         Completaram a turma julgadora os desembargadores Camilo Léllis e Roberto Porto. A decisão foi unânime.         Apelação nº 0011087-89.2013.8.26.0068                    imprensatj@tjsp.jus.br
18/11/2019 (00:00)

Contate-nos

Sede

Rua Cinco nº  3190
-  Jardim Portugal
 -  Rio Claro / SP
-  CEP: 13504-114
+55 (19) 3023-4161+55 (19) 982827143+55 (11) 959688234
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  731433