Terça-feira
17 de Maio de 2022 - 

Notícias

Newsletter

Cadastre seu email, para receber informativos períodicos.

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
19ºC
Min
12ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Campinas,...

Máx
15ºC
Min
5ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Campinas,...

Máx
16ºC
Min
5ºC
Predomínio de

Hoje - São Paulo, SP

Máx
19ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - São Paul...

Máx
15ºC
Min
7ºC
Predomínio de

Quinta-feira - São Paul...

Máx
16ºC
Min
7ºC
Predomínio de

Hoje - Rio Claro, SP

Máx
20ºC
Min
7ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Rio Claro...

Máx
16ºC
Min
2ºC
Geada

Quinta-feira - Rio Claro...

Máx
17ºC
Min
3ºC
Geada

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,07 5,07
EURO 5,28 5,28

Justiça condena servidor municipal de Hortolândia por corrupção passiva

Cabe recurso da sentença.      A 1ª Vara Criminal de Hortolândia condenou um funcionário público municipal pelo crime de corrupção passiva. A pena foi fixada em dois anos de reclusão em regime semiaberto, além de pagamento de 13 dias-multa. Também foi decretada a perda do cargo público, com desligamento completo dos quadros da Administração Municipal e cessando qualquer vínculo ou percepção financeira.     Consta dos autos que o acusado, fiscal da Secretaria Municipal de Habitação de Hortolândia, notificou moradores de uma ocupação irregular para desocuparem o local em 30 dias. Um deles telefonou para explicar sua difícil situação e impossibilidade de cumprir o prazo determinado. Nessa ocasião, o réu cobrou da vítima, a título de empréstimo, o valor de R$ 300 para procrastinar o processo de desocupação.     “Tem-se evidente que a solicitação do acusado não se tratava de empréstimo”, afirmou o juiz André Forato Anhê. “E, ainda que fosse, não ilidiria as características do delito em voga (art. 317 do CP), uma vez que a solicitação veio acompanhada de uma promessa contraprestacional, em razão do cargo público que o réu ocupava”, completou o magistrado, lembrando que “o termo ‘empréstimo’ é subterfúgio eufemístico costumeiramente usado por servidores públicos corruptos”.     O juiz destacou que o depoimento da vítima é totalmente validado pelas provas acostadas aos autos, sobretudo pela gravação da conversa, “tendo partido do acusado a solicitação do dinheiro, que, ainda, foi feita por livre e espontânea vontade, sem nenhum induzimento ou insinuação por parte da vítima”.     Cabe recurso da sentença.     Processo nº 1006816-12.2019.8.26.0229          imprensatj@tjsp.jus.br     Siga o TJSP nas redes sociais:     www.facebook.com/tjspoficial     www.twitter.com/tjspoficial     www.youtube.com/tjspoficial     www.flickr.com/tjsp_oficial     www.instagram.com/tjspoficial     www.linkedin.com/company/tjesp
09/05/2022 (00:00)

Contate-nos

Sede

Rua Cinco nº  3190
-  Jardim Portugal
 -  Rio Claro / SP
-  CEP: 13504-114
+55 (19) 3023-4161+55 (19) 982827143+55 (11) 959688234
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  1352891