Quinta-feira
16 de Setembro de 2021 - 

Notícias

Newsletter

Cadastre seu email, para receber informativos períodicos.

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
30ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Campinas, ...

Máx
32ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Campinas, SP

Máx
29ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - São Paulo, SP

Máx
18ºC
Min
16ºC
Nublado

Sexta-feira - São Paulo...

Máx
26ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - São Paulo, SP

Máx
27ºC
Min
17ºC
Chuva

Hoje - Rio Claro, SP

Máx
32ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Rio Claro,...

Máx
32ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Rio Claro, SP

Máx
31ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,26 5,26
EURO 6,21 6,21

Tribunal mantém júri que condenou réu por homicídio e ocultação de cadáver de criança

Pena de 32 anos de reclusão.   A 15ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve júri realizado na Comarca de Santana do Parnaíba e presidido pelo juiz Fabio Martins Marsiglio que condenou réu pelo homicídio e ocultação de cadáver de criança de quatro anos. A pena foi fixada em 32 anos, quatro meses e 24 dias de reclusão, no regime inicial fechado. No dia do crime, a garota saiu de casa para brincar com a vizinha. Cerca de meia hora depois a amiga foi até a residência da vítima procurar por ela. Ao perceber que a filha desapareceu, a mãe da criança saiu à procura da menina, acionando a Polícia Militar e pedindo ajuda aos vizinhos. Um dos vizinhos, ao entrar na casa onde a garota teria ido brincar, encontrou o réu com o dedo sujo de sangue fumando crack. Ao chegar no local, os policiais encontraram o corpo da vítima seminu, escondido embaixo de uma cama. No julgamento os jurados consideraram o réu culpado pelo homicídio qualificado por motivo fútil, emprego de asfixia e de recurso que dificultou a defesa da vítima. Para o relator da apelação, desembargador Cláudio Marques, não houve “qualquer irregularidade no processo, de modo a admitir-se novo julgamento pelo Tribunal do Júri”. “No que tange ao cálculo da pena, tem-se que a mesma foi corretamente fixada, observou-se o critério trifásico estabelecido no artigo 68 do Código Penal, todas as fases de dosimetria restaram fundamentadas dentro dos parâmetros legais”, afirmou. O julgamento, de votação unânime, teve a participação dos desembargadores Gilda Alves Barbosa Diodatti e Poças Leitão.     imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial
08/09/2021 (00:00)

Contate-nos

Sede

Rua Cinco nº  3190
-  Jardim Portugal
 -  Rio Claro / SP
-  CEP: 13504-114
+55 (19) 3023-4161+55 (19) 982827143+55 (11) 959688234
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  1099154