Domingo
20 de Setembro de 2020 - 

Notícias

Newsletter

Cadastre seu email, para receber informativos períodicos.

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
27ºC
Min
18ºC
Poss. de Panc. de Ch

Segunda-feira - Campinas...

Máx
20ºC
Min
16ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Campinas,...

Máx
23ºC
Min
16ºC
Chuva

Hoje - São Paulo, SP

Máx
22ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - São Pau...

Máx
18ºC
Min
14ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - São Paul...

Máx
20ºC
Min
15ºC
Chuva

Hoje - Rio Claro, SP

Máx
29ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva a

Segunda-feira - Rio Clar...

Máx
24ºC
Min
14ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Rio Claro...

Máx
22ºC
Min
14ºC
Chuva

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,29 5,29
EURO 6,27 6,27

TJSP na Mídia: Magistradas debatem os 14 anos da Lei Maria da Penha

Juízas informaram a população.   Em razão dos 14 anos da criação da Lei Maria da Penha, comemorado em 7 de agosto, meios de comunicação deram destaque, nos últimos dias, à questão da violência contra a mulher. O Portal da Cidade, de Registro, publicou, ontem (10), matéria sobre a live promovida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, que discutiu o tema. Na mesma data, a Rádio F8 (confira a partir do minuto 48), de Botucatu, entrevistou a juíza Érica Marcelina Cruz, da 1ª Vara Criminal de Bauru.  O Portal da Cidade contou que através do perfil do Instagram (@tjspoficial), o TJSP realizou, na sexta-feira (7), live conduzida pela juíza integrante da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário do Estado de São Paulo (Comesp) Teresa Cristina Cabral Santana. O texto trouxe um resumo do evento, falando da importância da lei, dos tipos de violência e da rede de apoio. “Para Teresa Cabral, a pandemia tornou muito evidente as desigualdades com relação à questão de gênero, ‘na forma como mulheres são mais sobrecarregadas no serviço doméstico e como são alijadas do mercado de trabalho’. A juíza afirmou que a sociedade precisa repensar tais condutas, ‘proporcionando igualdade e relacionamentos interpessoais que não reforcem estes padrões discriminatórios’“, diz a matéria. Em bate-papo no programa “O Palanque’, a magistrada Érica Cruz também falou do impacto do isolamento social imposto pela Covid-19 na vida de quem sofre violência dentro de casa, bem como de ações legais diante do descumprimento de medidas protetivas por parte do agressor, campanhas voltadas ao tema, atitudes preventivas e outros assuntos. ”Evoluímos muito como sociedade, amadurecemos no debate das ideias e também no que tange à legislação e na efetividade da aplicação dos direitos”, afirmou a juíza. “Hoje temos a tipificação do feminicídio. Se o agressor atenta contra a vítima mulher em situação de violência doméstica, a pena é elevada, vai de 12 a 30 anos, e ainda temos a possibilidade de aumentar essa pena em um terço se o feminicídio for cometido na presença dos filhos”, esclareceu a magistrada.   imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial 
11/08/2020 (00:00)

Contate-nos

Sede

Rua Cinco nº  3190
-  Jardim Portugal
 -  Rio Claro / SP
-  CEP: 13504-114
+55 (19) 3023-4161+55 (19) 982827143+55 (11) 959688234
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  809353