Segunda-feira
10 de Agosto de 2020 - 

Notícias

Newsletter

Cadastre seu email, para receber informativos períodicos.

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
26ºC
Min
13ºC
Predomínio de

Terça-feira - Campinas,...

Máx
28ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Campinas,...

Máx
30ºC
Min
16ºC
Predomínio de

Hoje - São Paulo, SP

Máx
26ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Terça-feira - São Paul...

Máx
28ºC
Min
17ºC
Predomínio de

Quarta-feira - São Paul...

Máx
29ºC
Min
15ºC
Predomínio de

Hoje - Rio Claro, SP

Máx
27ºC
Min
9ºC
Predomínio de

Terça-feira - Rio Claro...

Máx
28ºC
Min
12ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Rio Claro...

Máx
31ºC
Min
12ºC
Predomínio de

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,42 5,42
EURO 6,38 6,39

Mantido júri que condenou mulher por morte de suposto abusador dos filhos dela

Primo da ré foi assassinado com golpes de faca.   A 6ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve júri que condenou mulher que esfaqueou e asfixiou o primo após tomar ciência de que ele havia abusado sexualmente dos filhos dela.  A pena foi fixada em oito anos de reclusão, em regime inicial fechado. Os jurados reconheceram a atenuante da confissão e a causa de diminuição prevista no artigo 121, § 1º, do Código Penal (relevante valor moral) De acordo com os autos, o homem morava na mesma casa da ré, de sua mãe e de seus três filhos e, em determinado momento, passou a assediar as três crianças. Ao tomar ciência dos abusos, a mulher levou o primo para um matagal, sob o pretexto de estarem indo para uma festa, e o confrontou. Durante a briga, ela desferiu uma facada em seu peito e, depois de ele cair, mais três nas costas. Já no chão, apertou o pescoço da vítima e a afogou numa lagoa próxima ao local.  “Ante a confissão da acusada e o quanto exposto, a decisão dos jurados não é contrária à prova dos autos, devendo ser mantida”, afirmou o relator da apelação, Lauro Mens de Mello. “No tocante à pena, a sentença não demanda reparos também. O laudo de insanidade atestou que a ré era plenamente imputável e a acusada não estava fora de si, tanto é que deu detalhes da ação criminosa e as repetiu quando interrogada.” O julgamento, de votação unânime, teve a participação dos desembargadores Ricardo Tucunduva e Machado de Andrade.   Apelação nº 0005709-26.2015.8.26.0152   imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais: www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial 
01/07/2020 (00:00)

Contate-nos

Sede

Rua Cinco nº  3190
-  Jardim Portugal
 -  Rio Claro / SP
-  CEP: 13504-114
+55 (19) 3023-4161+55 (19) 982827143+55 (11) 959688234
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  777977