Segunda-feira
29 de Novembro de 2021 - 

Notícias

Newsletter

Cadastre seu email, para receber informativos períodicos.

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
33ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Campinas,...

Máx
30ºC
Min
21ºC
Chuvas Isoladas

Quarta-feira - Campinas,...

Máx
25ºC
Min
18ºC
Nublado

Hoje - São Paulo, SP

Máx
33ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - São Paul...

Máx
31ºC
Min
21ºC
Chuva

Quarta-feira - São Paul...

Máx
22ºC
Min
18ºC
Chuva

Hoje - Rio Claro, SP

Máx
33ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Rio Claro...

Máx
30ºC
Min
19ºC
Chuvas Isoladas

Quarta-feira - Rio Claro...

Máx
24ºC
Min
16ºC
Chuva

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,59 5,59
EURO 6,32 6,32

Liminar suspende cobrança de taxa de aplicativos de transporte e entregas por uso do espaço público

Indícios de violação das regras do processo legislativo.   O desembargador Ricardo Cintra Torres de Carvalho, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, na segunda-feira (18) concedeu liminar para suspender, por vício de inconstitucionalidade, os efeitos do artigo 2º da Lei Municipal nº 17.584, que autorizava cobrança de taxa de aplicativos de transporte de passageiros e entregas de encomendas por uso do espaço público. De acordo com autos, o prefeito de São Paulo encaminhou o PL nº 445/21 ao presidente da Câmara Municipal. O projeto de lei visava autorizar o Poder Executivo a contratar operações de crédito interno ou externo para financiar a execução de projetos de investimento do Município de São Paulo. No entanto, uma emenda parlamentar alterou o projeto inicial, autorizando cobrança de taxas de aplicativos de transporte e entregas. O magistrado destacou que “nas proposições legislativas sujeitas à exclusividade de iniciativa por autoridade de outro Poder, a prerrogativa parlamentar de apresentação de emendas ao projeto de lei é limitada ao domínio temático da proposta original”. Para ele, a documentação permitiu verificar que a alteração não foi debatida nas audiências públicas realizadas e que as informações da Presidência da Câmara Municipal ao Ministério Público defenderam a constitucionalidade somente da parte da lei que cuida especificamente das operações de crédito, sem qualquer menção à matéria do art. 2º. “Há indícios suficientes de ofensa ao princípio da separação dos poderes e às regras do processo legislativo”, afirmou.   Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2236285-42.2021.8.26.0000 imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial
20/10/2021 (00:00)

Contate-nos

Sede

Rua Cinco nº  3190
-  Jardim Portugal
 -  Rio Claro / SP
-  CEP: 13504-114
+55 (19) 3023-4161+55 (19) 982827143+55 (11) 959688234
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  1173175