Terça-feira
19 de Novembro de 2019 - 

Notícias

Newsletter

Cadastre seu email, para receber informativos períodicos.

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
27ºC
Min
17ºC
Chuva a Tarde

Quarta-feira - Campinas,...

Máx
25ºC
Min
18ºC
Pancadas de Chuva a

Quinta-feira - Campinas,...

Máx
29ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
26ºC
Min
17ºC
Chuva a Tarde

Quarta-feira - São Paul...

Máx
27ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva a

Quinta-feira - São Paul...

Máx
28ºC
Min
17ºC
Poss. de Panc. de Ch

Hoje - Rio Claro, SP

Máx
27ºC
Min
18ºC
Chuva a Tarde

Quarta-feira - Rio Claro...

Máx
26ºC
Min
18ºC
Pancadas de Chuva a

Quinta-feira - Rio Claro...

Máx
29ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva a

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,18 4,18
EURO 4,63 4,64

Declarada inconstitucionalidade de lei sobre execução de serviços de poda e remoção de árvores em Valinhos

Órgão Especial reconheceu vício de iniciativa.           O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo declarou a inconstitucionalidade da Lei Municipal nº 5.716/18, de Valinhos, que dispõe sobre a execução dos serviços de poda, corte, remoção com destoca e substituição de árvores dos logradouros do município. O julgamento se deu por maioria de votos.  A lei previa que pessoas interessadas na realização dos serviços de poda, corte e remoção em suas propriedades poderiam contratar profissional ou empresa especializada e custear o trabalho, mas impunha ao poder público municipal a obrigação de expedir autorização para realização do serviço.         A ação direta de inconstitucionalidade foi ajuizada pelo prefeito de Valinhos sustentando vício de inciativa e afronta ao princípio da separação de Poderes, pois a lei teve iniciativa parlamentar e a matéria seria privativa do Poder Executivo. O prefeito alegou também que a legislação criou despesas, ao atribuir novas obrigações às secretarias municipais, sem prever fonte de custeio, pois o caberia a servidores da prefeitura verificar a regularidade das empresas, fiscalizar a execução do serviço e indicar, no caso de replantio, espécie a ser utilizada.         Ao julgar o pedido, o relator, desembargador Elcio Trujillo, votou pelo acolhimento da pretensão, uma vez que ficaram caracterizados o vício de iniciativa e a violação à separação de poderes. “Considerando tudo o que foi apresentado, evidente a inconstitucionalidade da Lei nº 5.716, de 03 de setembro de 2018, que dispõe sobre a execução dos serviços de poda, corte, remoção com destoca e substituição de árvores do passeio público dos logradouros municipais, por invadir a competência reservada ao Chefe do Executivo Municipal.”           Adin n º 2275295-98.2018.8.26.0000                    imprensatj@tjsp.jus.br
18/10/2019 (00:00)

Contate-nos

Sede

Rua Cinco nº  3190
-  Jardim Portugal
 -  Rio Claro / SP
-  CEP: 13504-114
+55 (19) 3023-4161+55 (19) 982827143+55 (11) 959688234
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  480932